Zagueiro do Grêmio Prudente relata ofensas racistas em estreia da A3; Votuporanguense repudia 

O zagueiro Guizão afirma ter sido vítima de racismo por parte de um torcedor do Votuporanguense

O zagueiro Guizão, do Grêmio Prudente, afirma ter sido vítima de ofensas racistas na partida contra o Votuporanguense, pela estreia da Série A3. Os insultos seriam de um torcedor da equipe de Votuporanga, na Arena Plínio Marin. 

“Hoje no jogo contra o Clube Atlético Votuporanguense, fui vítima de ofensas racistas proferidas por um torcedor rival. Essa não foi a primeira e nem a última vez que isso aconteceu comigo no meio do futebol. Torcer, pegar no pé, isso é normal! Destilar ódio por motivos raciais é crime! E não fere o atleta, fere o ser humano! Não é um sentimento de tristeza, é de revolta! Até quando? Que a justiça seja feita! E o autor punido! Eu vou até o fim contra você, racista!”, afirmou o defensor por uma rede social. 

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Imagem-do-WhatsApp-de-2023-08-10-as-15.39.04.jpg

+ Quer receber relatórios e indicações de apostas dos clubes das Séries A2, A3 e A4? Veja mais informações!

Diversos jogadores do elenco do Carcará e o técnico Ademir Fesan demonstraram solidariedade ao jogador nas redes sociais. O Grêmio Prudente não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido. 

Em nota, o Votuporanguense afirmou que teve conhecimento sobre o caso através da imprensa e repudiou a ação. O presidente do clube, Edilberto Fiorentino, ligou para Guizão para se desculpar pelo ocorrido e se colocou à disposição para ajudar no caso. 

O clube ainda ressaltou que ações de conscientização serão reforçadas. O regulamento da Série A3 não prevê punições aos clubes em casos de injúria racial nos estádios. 

+ Inscreva-se no canal do ESCANTEIO SP no YouTube

LEIA TAMBÉM

+Série A4: Técnico do América, Rúbio Alencar diz que a equipe está pronta para a competição
+Com expulsões na estreia, veja quem desfalca o Bandeirante e o São Caetano na próxima rodada
+Moisés Egert completa um ano no comando do Noroeste 
+"Não existe clima leve": Paulo Roberto comenta pressão por resultados no XV de Piracicaba