Defesa de Sabino fala em 'grande equívoco' e 'precipitação' após prisão

CEO do São Caetano, Manoel Sabino Neto foi preso nesta segunda-feira (23) pela Polícia Civil durante operação que investiga uma organização criminosa que atua no comércio popular no centro da capital paulista.

Ainda nesta segunda-feira, o advogado de Sabino, Fabio Tumes, disse que a prisão foi um 'grande equívoco'. O nome forte do futebol do Azulão também é presidente da Acircom (Associação dos Comerciantes do Circuito das Compras), mas não tem relação com o comércio de rua segundo a defesa.

"Trata-se um grande equívoco. Estão associando o Sr. Sabino, presidente da Acircom, aos comerciantes de rua da Feira da Madrugada, no Brás. A operação é direcionada aos comerciantes que atuam 'nas ruas' do Brás e Sabino atua exclusivamente com comerciantes que atuam dentro do Shopping Circuito das Compras, estes todos regulares e representados pela Acircom".

"Houve extremo excesso e precipitação quanto a forma de cumprimento e quanto ao envolvimento de meu cliente. Meras especulações não podem servir para achovalhar a imagem de uma pessoa, tal qual o caso em comento, onde até um clube de futebol foi envolvido, sem ter absolutamente nenhum envolvimento".

Em nota, o Circuito de Compras SP, administrador da Feira da Madrugada, afirmou que Manoel Sabino não tem qualquer vínculo com a empresa e nunca foi gestor do Circuito de Compras.

Sabino foi preso na manhã desta segunda-feira durante a Operação Hades, da Polícia Civil. A investigação busca 'reprimir atividades de uma organização criminosa que atua no comércio popular, destinada à prática de vários delitos, incluindo lavagem de dinheiro'.

O empresário de 44 anos é CEO do São Caetano desde maio de 2021 e está à frente do futebol do clube para a Copa Paulista. O Azulão estreia no dia 6 de julho, quando visita o Oeste na Arena Barueri.

▶️ Inscreva-se no canal do ESCANTEIO SP no YouTube