Audax suspende contratos de parte do elenco e reduz salários de funcionários

Enquanto a maioria dos clubes da Série A2 está esperando a definição referente a retomada do campeonato para renovar com os jogadores ou firmar novos vínculos com os atletas que tiveram os contratos vencidos, o Osasco Audax decidiu se antecipar para seguir estável financeiramente durante a pandemia do novo coronavírus.

Com base na Medida Provisória 936, o clube entrou em acordo com os jogadores vinculados até abril e maio e suspendeu seus contratos. Deste modo, o Osasco Audax divide o salário desses atletas com o Governo Federal, que concede um auxílio emergencial pagando o restante dos vencimentos via seguro desemprego.

Entre os jogadores atingidos pelas medidas estão Zé Romário, Wallace, Fábio e Jefinho, que teriam os contratos encerrados em abril. Além de Jeferson e Kallyl, vinculados até maio. Assim, o Osasco Audax deve ter força máxima para a retomada da Série A2, a não ser por Adriel Bahia, que deixou o clube. O defensor, entretanto, sequer entrou em campo na competição.

Com base no artigo 503 da CLT, o Osasco Audax ainda reduziu em 25% o salário dos colaboradores ainda ativos na folha de pagamento, ou seja, todos os outros atletas com contratos longos, além dos demais funcionários do clube. A medida serve para o time se manter estável financeiramente durante a pandemia do novo coronavírus.

Faltando três jogos para o fim da fase inicial, o Osasco Audax é o 10º colocado da Série A2 com 15 pontos, três a menos que a Portuguesa, primeira equipe dentro da zona de classificação ao mata-mata.