Ademir Fesan projeta sequência da carreira após período de estudos

Após deixar o Primavera, Ademir Fesan recebeu propostas de times do cenário nacional, mas decidiu focar nos estudos e se aprimorar

Ademir Fesan está pronto para voltar à beira dos gramados. Após deixar o Primavera durante a Série A2 do Campeonato Paulista, o treinador focou nos estudos, concluiu a licença na CBF e agora se vê preparado para retornar à função. 

Responsável por levar o Grêmio Prudente às semifinais da Segunda Divisão do Campeonato Paulista e o Primavera ao histórico vice-campeonato da Série A3 de 2021, Ademir Fesan foi mantido pelo Fantasma no cargo de técnico, mas deixou o clube durante a Série A2 deste ano após uma sequência de maus resultados.

Desde que deixou o Primavera, Ademir Fesan recebeu propostas de times da Série C e da Série D do Campeonato Brasileiro, mas decidiu se aprimorar, acompanhou vários jogos no estado de São Paulo e concluiu a licença da CBF. Passados os meses de estudo, o treinador se vê pronto para voltar à beira do campo. 

▶️ Inscreva-se no canal do ESCANTEIO SP no YouTube: Escanteio SP

“Deu para descansar bem e estou muito motivado e pronto para iniciar um novo trabalho. Desde que deixei o Primavera, chegaram algumas coisas para mim, mas preferi esperar um pouco mais porque dei prioridade para me capacitar um pouco e consegui finalizar a licença da CBF ”, pontuou.

“Possuo uma longa estrada no futebol. Já vivi de tudo ao longo de mais de 26 anos na profissão, seja comandando atletas amadores, times de base, como auxiliar, e, agora, mais recentemente, como treinador efetivo. Sabemos como a pressão por resultados é grande e, muitas vezes, trabalhos são interrompidos de maneira precoce. Claro que o desejo de voltar a comandar algum time o quanto antes é grande, mas quero ir para uma instituição que apresente um planejamento sério. Que me ofereça condições e tempo para render frutos a médio e longo prazo”, ressaltou.

Antes de treinar Grêmio Prudente e Primavera, Ademir Fesan trabalhou com futebol universitário, categorias de base e foi auxiliar de técnicos do cenário nacional, como Lisca, Marcelo Chamusca, Rogério Micale e Claudinei Oliveira. Ao longo dos sete anos que atuou como auxiliar, o profissional de 44 anos conseguiu acessos à Série B do Brasileirão, pelo Guarani, em 2016, para a Série A, com o Paraná, em 2017, e ainda ganhou a Copa Verde, em seu último trabalho no cargo, pelo Cuiabá, em 2019.